segunda, 18 agosto 2014 18:04 Hits : 8503

Comportamento online dos consumidores

“Onde vamos comer hoje?”, talvez seja uma das perguntas que mais atormenta as barrigas esfomeadas de quem já experimentou todos os pratos e especialidades do restaurante mais próximo mas não conhece os outros restaurantes da zona. Agora, com tantos guias online que disponibilizam rankings, localizações, comentários, e imagens dos melhores estabelecimentos, a tão poucos cliques de distância, encontrar um lugar especial com uma maravilhosa refeição emoldurada por um ambiente acolhedor, seja ele uma esplanada com vista direta para o mar no verão ou uma lareira aconchegante no inverno, é tarefa fácil. A dificuldade é mesmo decidir qual experimentar primeiro.

As novas tecnologias conseguiram integrar por completo os hábitos e a forma como nos comportamos face aos estabelecimentos de restauração, desde as recomendações que recebemos através de sites que nos ajudam a responder à pergunta “onde comer?” até à partilha de comentários, fotografias, e vídeos nas redes sociais que ocorre durante e depois da experiência gastronómica. Quem é que nunca partilhou uma fotografia de um prato exótico ou de um brinde refrescante ou até de uma sobremesa decadentemente deliciosa?

 

A caça ao restaurante acontece na rede de amigos

A escolha de “onde ir comer fora” sempre foi uma decisão influenciada pelos amigos.

Noutros tempos, chegada a hora de decidir onde ir comer ou antes de experimentar o novo restaurante da cidade, ligava-se para amigos a pedir alguma recomendação; perguntava-se se “tal sítio” tinha comida da boa, qual era o melhor prato a experimentar e algumas outras informações sobre o serviço. 

Agora, com a era do digital e do móvel, e a disponibilização dos conteúdos em várias línguas, o leque de amigos estendeu-se a um nível global e encontrar um restaurante que se adeque aos apetites de cada um é simples; só uma pesquisa rápida num motor de busca a partir de um computador, smartphone ou tablet revela uma lista imediata de resultados, por onde se pode iniciar a seleção do próximo lugar a frequentar. Ali podem encontrar-se milhares de críticas, centenas de comentários e dezenas de recomendações sobre os mais variados sítios, onde são avaliados a comida, o serviço e a própria decoração e ambiente do espaço. Mais de 50% dos fregueses confia nestas apreciações feitas por outros clientes dos estabelecimentos e visita os que têm as melhores posições no ranking.

Mais de 70% dos consumidores escolhe um restaurante que apareça nas suas pesquisas e ficará ainda mais satisfeito se a ementa estiver disponível no website e traduzida na sua língua. Outras informações consideradas relevantes por estes consumidores são as direções, os números de telefone e as promoções ou descontos em vigor, que deverão estar disponíveis online. 

A presença dos restaurantes nas redes sociais tornou-se assim obrigatória dado que mais de 25% dos internautas procura aí os melhores estabelecimentos.

 

Antes do garfo, o smartphone!

A pesquisa está feita, todas as informações recolhidas e o restaurante escolhido, mas nem assim são postos de lado os smartphones e tablets. A verdadeira evolução no interior do restaurante sente-se quando os clientes entram com o pressuposto de que existe wi-fi naquele estabelecimento, estando esta a tornar-se numa exigência e necessidade públicas.

Considerando que 39% dos consumidores dizem que utilizariam um sistema de pedidos através do tablet ou smartphone, e que os muitos restaurantes já utilizam esse sistema, e afirmam que esta prática se tornará mais popular no futuro, a própria forma de pedir a comida no restaurante está a desenvolver-se para se tornar mais tecnológica.

À mesa, e com a comida já servida, no smartphone são realizadas mil e uma ações, desde o envio de mensagens à publicação de fotografias, estados e vídeos até aos comentários e à navegação nas diversas redes sociais.

 

Já de barriga cheia…

A comida sempre desempenhou um papel central nas nossas vidas. Ela é sem dúvida uma necessidade para todos, e um prazer para muitos. Depois do prazer da partilha de mesas recheadas de iguarias e sabores diversos, e do convívio com os amigos que protagonizam histórias inesquecíveis e conversas hilariantes, restam as memórias e as promessas de repetir em breve. 

Estas pessoas que possuem um verdadeiro interesse pela gastronomia, e que são consumidoras - os chamados foodies - unem-se às novas tecnologias, ganhando uma voz ativa no mundo online da gastronomia, que lhes permite descobrir, aconselhar, comentar e publicar, mais e melhor, sobre esta vasta e deliciosa temática.

Todo o interesse ligado à tecnologia dá a oportunidade a qualquer pessoa de se tornar num verdadeiro crítico de comida, partilhando em sites e blogues as suas opiniões acerca da comida, do serviço, da decoração, ou seja, de toda a experiência passada no restaurante. Aquele momento deixa de ser individual, e passando a ser partilhado e visto pelo mundo inteiro, posicionando tanto uma opinião como o próprio restaurante que permitiu aquela maravilhosa ocasião. 

Modificado em quarta, 24 setembro 2014 16:53

Cátia Ferreira

Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 

Sítio: plus.google.com/u/0/112444848786510067089/posts

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

  • Desafios. Projetos. Pessoas. Sempre com uma rota bem definida, mas suficientemente flexível para num instante manobrar o leme na direção a seguir.
  • Marketing Executive na Inpokulis. Social media geek. Viciado em música e boa comida.
  • Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 
  • Gestora de Projetos na Inpokulis, Portugal. Apaixonada por línguas e culturas, viagens, cinema e boa música.