sexta, 22 agosto 2014 15:20 Hits : 8049

Comportamento online de quem procura casa

Uma casa é mais do que um simples lugar, é muito mais do que um espaço onde residimos; a nossa casa é “o” lugar das nossas vidas. Lá decoramos a área à nossa medida e ao nosso gosto; desde os quartos de dormir, à sala de estar, da cozinha à sala de jantar, dos terraços aos jardins, tudo é pensado ao mais ínfimo pormenor; as cores das paredes refletem o modo como queremos viver, o pavimento tem de ser harmonioso e confortável, a cozinha pensada à dimensão da família, dos amigos e do estilo de vida que queremos levar; lá crescemos e construímos momentos e memórias para sempre guardadas e recordadas naquele que é um verdadeiro lar.

“Casa é o lugar onde mora o coração”, com este sentimento a procura da casa ideal torna-se num processo emotivo, onde cada um quer encontrar o lugar que reflita os seus sonhos, objetivos, possibilidades financeiras e que se insira também na localidade perfeita, porque dependendo da fase de vida em que uma pessoa está, seja solteira ou casada, com ou sem filhos, a vizinhança é um requisito muito importante no momento da tomada de decisão. Por exemplo, um casal jovem sem filhos preferirá procurar apartamentos para arrendar perto do local de trabalho, e futuramente investir numa casa de família num local seguro e perto de escolas.

 

À procura da casa perfeita

A procura de uma casa é um exercício intenso, exigente e demorado até encontrar a solução perfeita quando tudo o que se deseja finalmente se espelha não só naquelas quatro paredes mas também na envolvente porque para além do imóvel importa ainda a atmosfera circundante; campo ou praia, rural ou citadino, calmo ou agitado, no centro ou na periferia, muitas são as opções e tudo depende do gosto e necessidades de cada um.

Num passado recente descobrir casas para comprar ou arrendar consistia numa autêntica caça ao tesouro, onde se deambulava pelos quarteirões ou conduzia às voltas pelas estradas mais rústicas tentando encontrar letreiros expostos nas janelas ou em frente às casas com a indicação “Vende-se” ou “Arrenda-se”; em alternativa pediam-se indicações a amigos e familiares na esperança de obter a melhor recomendação; esgotadas as tentativas de pesquisa, então trabalhava-se ao pormenor com um agente imobiliário, fazendo dezenas de visitas a casas até encontrar a “tal”.

Comprar uma casa é sempre uma tarefa demorada, porém, as tecnologias móveis e online trouxeram até ao mundo da imobiliária algumas mudanças e muitas vantagens para os clientes.

Agora com ligação à internet, dispondo de um computador, tablet ou smartphone e com acesso a tantos sites de pesquisa de imóveis e redes sociais, mais de 50% dos clientes realizam a procura de casas a partir de qualquer lugar do mundo e na sua língua, recolhendo todo o tipo de informações desde preços, localizações e agentes de imobiliária até visitas virtuais, fotografias, vídeos e comentários sobre as casas, encontrando respostas para as suas dúvidas e preocupações. Por exemplo, sabe-se que a percentagem de clientes que usa o smartphone para pesquisar e comparar preços já atinge os 70%. Através de mapas online que fornecem imagens reais de qualquer morada no mundo, quem procura casa consegue visualizar a propriedade, outras casas do bairro e toda a vizinhança, ou seja, estabelecimentos, jardins, supermercados, escolas, entre outros lugares próximos.

Depois de tantas pesquisas online, quem procura casa está agora mais perto de encontrar a casa ideal; durante semanas ou até meses recolheu imagens, anotou as especificidades, comparou preços, colecionou vídeos, leu comentários e avaliou a vizinhança – chegou finalmente a hora de escolher. 

 

Lar doce lar

Após cerca de 6 meses de pesquisas intensas, o cliente selecionou finalmente 2 ou 3 imóveis a visitar; pesquisou e contactou na sua língua os proprietários ou agentes imobiliários para agendar a visita que o ajudará a tomar a decisão final.

Sabe-se que 45% dos clientes visita as casas encontradas online e que outros 40% compram casas que apareceram nas pesquisas e que visitaram. Os clientes concordam que sem o acesso à Internet, encontrar todas aquelas informações era mais complicado, pois agora podem comparar casas, sentindo-se confiantes e informados na hora da compra.

As principais preocupações variam de cliente para cliente mas normalmente resumem-se a aspetos como os custos de aquisição e manutenção, a privacidade e se o espaço é familiar e apropriado para animais domésticos. 

Geralmente uma pessoa sente-se preparada para comprar uma habitação quando acredita que está a fazer um bom investimento e confia que aquele imóvel garante conforto e segurança para si e para a sua família ao preço que ela pode pagar; o ciclo recomeça no momento em que uma alteração na sua vida acontece, a família cresce, novos desafios profissionais aparecem, e o ciclo de procura de casa precisa ser reiniciado.

Modificado em quarta, 24 setembro 2014 16:53

Cátia Ferreira

Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 

Sítio: plus.google.com/u/0/112444848786510067089/posts

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

  • Desafios. Projetos. Pessoas. Sempre com uma rota bem definida, mas suficientemente flexível para num instante manobrar o leme na direção a seguir.
  • Marketing Executive na Inpokulis. Social media geek. Viciado em música e boa comida.
  • Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 
  • Gestora de Projetos na Inpokulis, Portugal. Apaixonada por línguas e culturas, viagens, cinema e boa música.