terça, 11 novembro 2014 11:22 Hits : 4183

Comunicação multilingue - o surgimento da tendência saúde

O universo médico caracteriza-se por grande complexidade em constante evolução. A toda a hora saem novos estudos, são divulgadas as mais recentes investigações médicas e são publicados artigos científicos de investigadores de topo; surgem novos medicamentos para “novas” doenças e tratamentos alternativos que substituem os mais convencionais. Logo, quem exerce uma profissão na área da saúde, seja médico, enfermeiro, farmacêutico ou até segurador, precisa e deve estar bem informado sobre as mais recentes descobertas científicas que lhes permite ajudar cada vez mais os pacientes/consumidores.

Com a saúde a ganhar cada vez mais contornos transfronteiriços, não são só os hospitais, os médicos e os responsáveis pelo turismo que têm de se preparar para receber pacientes estrangeiros; todos os outros players da saúde como a farmacêutica, as seguradoras de saúde, bem como os fabricantes de equipamentos médicos estão a ficar mais conscientes desta realidade e começam agora a dar especial atenção à comunicação multilingue.

 

Comunicação multilingue na saúde - necessidade ou mais-valia?

 

Imagine que só podia falar com uma única pessoa para o resto da sua vida, acha que vivia a 100%? Decididamente, a resposta é “não”; porque estaria limitado às experiências, aos conhecimentos, às histórias, à cultura e ao comportamento de uma única personalidade. O mesmo se passa quando se restringe a comunicação a apenas uma língua; elimina-se desde logo a oportunidade de existir uma partilha, uma conversa ou mesmo um negócio com alguém que possua uma língua diferente e uma cultura distinta.

Para que a informação médica que é publicada todos os dias seja entendida em qualquer ponto do mundo, a tradução é uma necessidade constante. Qualquer responsável de saúde reconhece o papel da comunicação técnica internacional no seu meio e por isso deve admitir também a importância de trabalhar com uma rede de tradutores especializados; pois os temas e documentos médicos implicam um vasto vocabulário que precisa ser transmitido na língua do paciente, sendo alguns dos documentos: as monografias, os protocolos e os artigos científicos; os folhetos informativos de medicamentos, as licenças de produtos e ainda manuais de instrução e ensaios clínicos.

Muitos dos documentos aportam novos conhecimentos que respondem a questões e dúvidas de muitos pacientes sobre as causas e mecanismos das doenças e sobretudo novas formas de tratamento. Assim sendo, essas questões devem ser respondidas na língua do paciente; este tem o direito de receber informações que possivelmente lhe melhorem a qualidade de vida. E a informação também deve ser algo passível de viajar pelo mundo e de ser partilhada. Por isso, a tradução nesta área é uma prioridade.

A forma como a informação chega ao consumidor de saúde também tem vindo a mudar de paradigma; esta mudança é fruto das expectativas se terem tornado mais tecnológicas e sociais.

 

Comunicação multilingue – porque a proximidade é importante

As pessoas estão a mudar a forma como interagem com as empresas enquanto consumidores. E a indústria da saúde não é imune; a relação entre as duas partes tem-se tornado mais próxima e de entreajuda, o consumidor espera que a empresa esteja disponível a qualquer momento para esclarecer as suas dúvidas e na sua língua; trata-se de uma relação de maior proximidade.

Os consumidores alcançam agora as empresas através de novos meios. Além do contacto pessoal ou ao telefone, têm agora as aplicações para smartphones e tablets, contas de utilizador nas páginas online multilingues e redes sociais que ganham em popularidade na interação de pacientes. Isto significa que os prestadores, os seguradores e as empresas de saúde devem aproveitar a oportunidade de coexistir no meio onde o paciente está e comunicar com ele. Sabia que mais de 70% das pessoas pesquisam antes de tomarem decisões de saúde e têm em consideração a reputação do serviço médico e da experiência que este confere ao doente?

Para mudar para um modelo mais interativo, as empresas devem investir na inovação. Talvez não saiba mas há cada vez mais especialistas em marketing digital que aliam tecnologia e conteúdos multilingues capazes de ajudar a comunicar um serviço médico personalizado de qualidade e que levam em conta os desejos e a opinião dos pacientes. Tenha a certeza que a comunicação multilingue, mais do que um luxo é uma necessidade.

Modificado em quarta, 19 novembro 2014 11:10

Cátia Ferreira

Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 

Sítio: plus.google.com/u/0/112444848786510067089/posts

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

  • Desafios. Projetos. Pessoas. Sempre com uma rota bem definida, mas suficientemente flexível para num instante manobrar o leme na direção a seguir.
  • Marketing Executive na Inpokulis. Social media geek. Viciado em música e boa comida.
  • Blogger na Inpokulis. Comunica e escreve por gosto, inspirando-se no mundo, no cinema e na literatura. 
  • Gestora de Projetos na Inpokulis, Portugal. Apaixonada por línguas e culturas, viagens, cinema e boa música.